Seguidores

Inimigos da felicidade - Por Dr. João Baptista Cottas

Não sabemos para onde caminhamos, nem como será o mundo de amanhã, diante do que observamos através do noticiário. O mundo Terra vive em convulsões constantes e sob grande perturbação, razão por que não há nem pode haver felicidade na Terra.

Razão tem o ilustre escritor, espiritualista e filósofo Luiz de Souza, em seu livro A felicidade existe, quando afirma: “A felicidade real, verdadeira, permanente, só é possível na Terra com a espiritualização geral. O atraso espiritual do mundo é um atestado patente aos olhos de quem pode ver”. E mais: “Não pode haver felicidade sem saúde”. E nós acrescentamos: os inimigos da felicidade são o temor, a preocupação, a superstição e a ignorância.

O homem para ser feliz deve estar sempre bem com a sua consciência. Se o temor, o medo e o receio o atormentam, se a preocupação o inquieta, impacienta e irrita, esse indivíduo não pode ser feliz.
O tímido, fraco, medroso pode tornar-se forte, vigoroso e confiante, se desenvolver as suas faculdades mentais para o bem, se fizer bom uso do seu livre-arbítrio e vencer a impaciência e a inquietação.

Muitas pessoas vivem num temor constante de coisas desagradáveis. Só pensam no mal, nos insucessos e julgam-se inferiores aos demais. São verdadeiras complexadas, acovardam-se, humilham-se. Nunca podem ser felizes.

Devemos procurar dominar o ambiente em que vivemos e lembrarmo-nos que os nossos inimigos mentais vivem em nós mesmos. Somos nós que os imaginamos e criamos pela nossa vontade fraca, mal dirigida e pelo mau uso do nosso pensamento.

Já tivemos ocasião de escrever que o medo, o temor, a preocupação atuam sobre a circulação do sangue. Paralisam o sistema nervoso, embranquecendo os cabelos e enrugando as faces. Enquanto que tudo o que nos possa proporcionar emoções alegres e nos tornar felizes, favorece a circulação do sangue.
O medo obsessivo e a preocupação doentia, cheia de manias, são frutos da imaginação, verdadeiros inimigos da felicidade.

Muitas preocupações, cuidados e receios não têm motivo de existir; entretanto, eles vêm atormentando a humanidade.

A superstição e a ignorância também destroem a felicidade de muitos seres humanos.

O indivíduo supersticioso imagina e cria coisas que não existem, tem medo de tudo, vive apavorado, perturbado e obsedado. Não tem felicidade.

A ignorância, a falta de conhecimento das coisas sérias da vida, tem sido o maior fator para a humanidade continuar no estado em que se encontra, de verdadeira materialidade.
O mundo Terra pouco tem evoluído espiritualmente. O que lhe falta é espiritualidade. O progresso espiritual não tem acompanhado o material. Vive-se e pensa-se materializadamente, carnalmente.

Ainda é Luiz de Souza, em sua citada obra, que nos diz: “A ignorância reflete obscuridade, cegueira, forte limitação. O espírito para se sentir feliz há de encontrar Luz: a Luz da Verdade, do Amor, da Sabedoria”.

Quando os homens se esclarecerem e se compreenderem dentro de princípios espirituais, outro será o viver humano. Não haverá guerras, todos viverão em paz e serão felizes.

Combatendo a ignorância humana, não permitamos que os germes da preocupação, da ansiedade e do medo se infiltrem em nós. Conservemos sempre boa disposição física e mental, para que esses inimigos nunca possam invadir nosso espírito e nosso corpo.

A felicidade perfeita, completa, provém da nossa maneira de pensar e agir corretamente. Ela é o produto das nossas experiências, dos nossos pensamentos e das nossas ações.

Ela está em nós próprios.

Inimigos da felicidade
Por Dr. João Baptista Cottas

Fonte:

Podera gostar de conhecer:
► Convite

Seguidores

Vale a pena visitar