Seguidores

Misofonia

Misofonia, uma palavra bem estranha, mas muito provavelmente você também sofra desse mal e não saiba.


A enfermidade Misofonia foi catalogada em 1991, Trata-se de Ódio ao Som, um distúrbio neurológico da sensibilidade auditiva contra sons fortes ou fracos.
Pelo tão complexo que é o assunto MISOFONIA e em diferentes níveis de pessoa para pessoa, pela total falta de nomenclatura no tema, tentamos reunir algo para ajudar aos que padecem de misofonia.

Infelizmente pela falta de compreensão, as pessoas com o padecimento de Misofonia nunca foram levadas a sério e sim depreciadas com uma série de préjulgamentos tolos e como pessoas complicadas.
A Origem da palavra MISOFONIA vem do grego que significa:

Miso = tem sua origem no grego “miseo” que exprime a noção de ódio ou aversão.

Fonia = também tem origem no grego “phone”, aliado ao “ia” que tem o sentido de tom, portanto exprime a noção de som.

A enfermidade Misofonia foi catalogada em 1991, pelos cientistas Pawel Jastreboff & Margaret Jastreboff.

Em inglês é conhecida como “Misophonia” e ainda não há muito material a respeito, mas algo já se consegue descobrir:

Trata-se de “Ódio ao Som”, um distúrbio neurológico da sensibilidade auditiva contra sons fortes ou fracos.


Pouco se sabe sobre a localização anatômica da anormalidade fisiológica que provocam tais sintomas, mas atacam as estruturas do sistema nervoso central.
Os sintomas variam de pessoa para pessoa, mas são relacionados ao som de movimentos.

• O QUE DIZEM FAMILIARES E AMIGOS DOS QUE PADECEM DE MISOFONIA

Os sofredores de "misofonia" normalmente têm fortes reações emocionais negativas, que vão desde irritação à fúria extrema, para uma variedade de sons - frequentemente associados com a boca e os sons nasais, como mastigação barulhenta ou respirar.


No entanto, as reações podem ser desencadeadas por muitos sons diferentes, como cheirar, clicar de canetas, bater o calcanhar, digitação, mascar chicletes, estalar de dedos, cachorros latindo, tilintar de chaves, e assim por diante.

Para alguns, a simples visão de um desses comportamentos podem desencadear uma intensa reação. Para outros,  enfermos de misofonia também pode desencadear essa intensa reação puramente em ver movimentos repetitivos, como o balancear de pernas ou outro movimento.

De criatura para criatura seus sintomas iniciam de modos e níveis diferentes e também com diferentes tipos de reações emocionais. Enquanto alguns sofrem de misofonia de uma forma mais branda, outros podem senti-la de forma tensa ou irritada, casos mais graves envolvem explosões incontroláveis ​​de raiva e até mesmo chegam a violência".

• O QUE DIZEM OS DOUTORES AOS QUE PADECEM DE MISOFONIA

É muito importante perceber que o indivíduo com Misofonia muitas vezes tem pouco ou nenhum controle sobre suas reações. Eles percebem que suas sensibilidades para estes sons são irracionais, e seus cérebros demonstram “reter / neutralizar” os ativos de seus centros emocionais, talvez relacionado a um erro do cérebro envolvendo uma resposta normal que seria "lutar ou fugir", que todos os seres humanos experimentam em uma situação ameaçadora.

• O QUE DIZ A PESQUISA AOS QUE PADECEM DE MISOFONIA

Misofonia parece ser uma condição estranha, mas é muito real e extremamente difícil para aqueles que a possuem, bem como de suas famílias.

Misofonia – literalmente é o ódio ao som - pode ser definido como uma hipersensibilidade a sons de fundo ou estímulos visuais que são geralmente ignorados por outras pessoas. Porém, o mais difícil além da incapacidade para bloquear os estímulos do indivíduo agressor, é a resposta emocional negativa e aguda de bloquear o que se experimenta como resultado direto ao sentir esse contato no início da agressão auditiva.

A resposta tem sido descrita como uma inundação emocional de raiva e pânico.
Sentir o coração bater intensamente e a necessidade de fugir fisicamente ou muitas vezes atacar são as reações que se experimenta. Mas a pessoa que sofre de misofonia em estado de calma, por sua impotência, poderá encontrar-se constantemente cabisbaixa.

A maioria dos estímulos “agressores” são descritos como inofensivos ou apenas parte do dia a dia de cada pessoa normal, mas para uma pessoa afetada por Misofonia, eles são a causa do distúrbio de seus nervos, portanto um fardo pesadíssimo.

Muitas vezes um ser que padece desse mal é forçado a uma vida de isolamento, escondendo-se bem longe da população em geral e dos ruídos que possam debilitá-la, não por escolha mas por necessidade para manter-se saudável.

Muitos não comparecem a ocasiões sociais devido ao medo e a ansiedade do que possa acontecer. Geralmente relacionamentos são destruídos devido a negatividade dos mal-entendidos.

As oportunidades de trabalho são reduzidas ou desaparecidas por completo.

Um ser que padece de Misofonia quando questionado como ele se sente, em geral alegam sentirem-se culpados pelo tumulto que geram devido à sua reação, principalmente, por que sentem medo de que as pessoas diminuam a tolerância e aumentem as restrições impostas a elas por essa condição anômala.

Embora se tenha pensado numa lista inicial de sons ativadores, pensou-se em sons suaves ou em ruídos alimentares e corporais, identificados sempre numa lista crescente de estímulos ativadores sonoros e visuais que podem desencadear a reação de raiva e pânico.

Nem todos que possuem essa condição são afetados igualmente, alguns são ativados por ruídos corporais, outros não são ativados por estímulos visuais, mas geralmente são ativados por sons.

UMA PEQUENA LISTA DE ESTÍMULOS AGRESSORES

• BOCA e MASTIGAÇÃO

Mastigar, sugar, bater na mesa, falar com o alimento na boca, arrotar, barulho de talheres, estalar goma de mascar, engolir, sorver, espremer garrafa de água, ah... depois de beber, chupar dentes, sons da boca molhada, sons de beijos, cuspir, roer unhas, escovar dentes, fio dental, abrir ou esfregar sacos plásticos.

• RESPIRAÇÃO NASAL

Respirar alto, respiração macia, bocejar, roncar, assobiar pelo nariz, sibilos, fungar, limpar a garganta, pigarrear, tossir, catarro, soluços, chiados.

• VOCAL

Cantarolar, assobiar, voz grave, voz por via nasal, ouvir palavras em voz suave sussurrante em demasia, como hum… ou ah… abafado, ouvir vozes ou rizadas na TV.

• MOVIMENTO RELACIONADO AO ORGANISMO

Arrastar os pés no chão (pés secos no chão), salto alto no piso, chinelo no piso, passos pesados​​, esfregar mãos ou pés, estalar de dedos, estalar o conjunto de nós dos dedos, roer as unhas, recortar papéis, tocar de dedos, coçar os olhos, cacoete de coçar olhos.

• VISUAL (com som)
Comer, mascar chiclete.

• VISUAL (não necessariamente com som)

Movimentos repetitivos das pernas e do pé ou do corpo remexendo-se, cabelo girando, mãos perto da boca, tiques nervosos, piscar de olhos, piscar de luzes, animações da web, movimentos fora do canto dos olhos.

• MEIO AMBIENTE

Clicar mensagens de texto, teclado, ratinho, controle remoto. Sons de caneta, gravações, farpas de papéis, tique-taque de relógios, corte de unhas, chaveiros. Utensílios ruidosos como pratos, talheres batendo. Abrir, dobrar e amassar pacotes de alimentos e sacos plásticos.

Barulho de tráfego, escapamento de motocicletas, construção, máquinas de cortar grama, apitos, beepers. Sons abafados através das paredes de pessoas conversando, como música ou sons de veículos ou de casas provenientes de BASS/ boom-box, bate-estaca, TV, de áudios portáteis ou de carros e zumbido eletrônico.

Latidos, sons de pássaro, grilos, sapos, cães ou gato lambendo, beber, comer. Gotejamento de água, torneiras vazando ou água derramando, portas de carro batendo.

Chiado de pisos soltos ou quebrados, de rádios de baixa frequência, coisas chacoalhando nos bolsos.

• O QUE É O SOM?

O som é produzido pelas vibrações em um corpo material vibratório, capaz de ser detectado pelos órgãos de audição.

Vibração é definida como o movimento de vai e vem de uma partícula vibratória em relação a sua posição normal.

É definida como o número de vibrações produzidas por um corpo vibratório em um segundo.

A unidade do SI para frequência é Hertz (Hz).

Vibrações sônicas possuem frequências entre 20 Hz e 20000 Hz. Elas podem ser percebidas pelo ouvido humano. Vibrações sônicas também são chamadas de vibrações sonoras.

Vibrações infra sônicas possuem frequências mais baixas que 20 Hz. Elas não podem ser percebidas pelo ouvido humano. Vibrações infra sônicas também são chamadas de vibrações sub sônicas.

Vibrações ultrassônicas possuem frequências mais altas que 20000 Hz. Elas não podem ser percebidas pelo ouvido humano. Vibrações ultrassônicas também são chamadas de vibrações supersônicas.

Vibrações ultrassônicas são usadas para várias finalidades, tais como homogeneização do leite, lavagem de pratos e criação de imagens de órgãos internos do corpo humano. Estas vibrações podem ser ouvidas por alguns animais, como morcegos e golfinhos, que as utilizam para localizar suas presas.

O som obedece às leis de reflexão e pode sofrer tanto reflexão como refração.

O eco é a repetição de um som quando ele é refletido por um objeto distante. Foi observado através de estudos que a distância entre a fonte do som e o corpo que o reflete deve ser pelo menos 17 metros para que o eco possa ser ouvido. Também, a altura do som deve ser suficiente para que ele possa ser ouvido claramente após a reflexão.

Sonar é o dispositivo utilizado por navios para se determinar a profundidade do mar abaixo do navio.

Ele é baseado no princípio de reflexão de ondas sonoras ultrassônicas.Um meio material é essencial para a propagação do som.

O som não pode se propagar no vácuo.

O som viaja mais rapidamente em sólidos (sua velocidade é aproximadamente 5000 m/s através do aço e vidro), mais devagar em líquidos (aproximadamente 1300-1600 m/s através da água) e mais lentamente ainda através dos gases (330 m/s através do ar).

O som de um trovão é ouvido depois que a faísca de um relâmpago é vista.
Isto se deve ao fato da luz viajar a uma velocidade muito alta de 3 x 108 m/s, enquanto o som viaja através do ar a aproximadamente 330 m/s.


Infelizmente pela falta de compreensão, as pessoas com o padecimento de Misofonia nunca foram levadas a sério e sim depreciadas com uma série de préjulgamentos tolos e como pessoas complicadas.
O tímpano humano, situado ao final do canal auditivo de 6 cm, separa o ouvido externo e o ouvido médio.


Quando o som atinge o tímpano ou membrana timpânica, ele o faz vibrar.

As vibrações do tímpano são transmitidas por três ossículos (martelo indicado pela letra A, estribo indicado pela letra B e bigorna indicado pela letra C) para a cóclea.

A cóclea (Latim para caracol) é um tubo colóide, o qual possui uma janela oval com tamanho de 1/16 a área do tímpano para receber as vibrações e contém o órgão da audição de fato.

A trompa de Eustáquio (nomeada a partir do anatomista Eustachius) mantém a pressão no ouvido médio igual a pressão do ar exterior. É esta pressão que muda quando voamos de avião, causando surdez temporária.

• TRATAMENTO - não há nenhuma cura conhecida

Atualmente não há nenhuma cura conhecida para a Misofonia.

Entretanto muitos podem considerar utilizar protetores auriculares ou plugues de ouvido, que podem atenuar os geradores de ruído.

Tenham em mente que a evasão fugindo ao problema pode piorar a condição para algumas pessoas, por isso, alguns fabricantes desses equipamentos aconselham a utilizá-los com moderação.

Atualmente nos EUA, algumas pessoas que padecem de misofonia tem encontrado na terapia comportamental cognitivo (TCC), certa ajuda na redução do estresse emocional e entender o processo de seu pensamento.

Vale lembrar que uma boa dieta e exercícios parecem ajudar também.
Não desista, existem maneiras de reduzir os sintomas e tornar uma vida mais fácil e saudável.

Nos EUA existem grupos de ajuda no treino do cérebro, no Brasil aos poucos estão aparecendo mais profissionais sérios e dispostos a se aprofundarem nessa área.

Como exemplo citamos estas 2 ferramentas que já estão sendo veiculadas no Mercado Americano na tentativa de ajudar a lidar com as emoções negativas que provém da Misofonia.


Programador Neuro 3 - Para ajudar a treinar o seu cérebro

Programador Neuro 3 - Para ajudar a treinar o seu cérebro

Sessão de hipnose para misofonia

Sessão de hipnose para misofonia



O texto abaixo sobre ESPIRITUALIDADE é uma colaboração do Sr. Eugênio Eduardo

Segundo o Dr. Antônio Pinheiro Guedes encontramos algumas máximas que poderão ajudar na compreensão sobre o pensamento, em seu livro a “Ciência Espírita”… ...Assim: a dor, o sofrimento, a moléstia — são contingências da vida inerentes à criatura; são consequências inevitáveis, quase necessária da luta do vivente com a Natureza; do organismo com o ambiente ou meio em que surge e se desenvolve...


...quem se sente ferido, aquele a quem a dor punge, esse grita por socorro, mesmo achando-se só e num deserto; pede, implora auxílio: auxílio que só pode vir da sabedoria e do poder infinito,… ...por intermédio dos executores de sua vontade que são os espíritos...  ...inteligência suprema, alma do Universo, só age indiretamente, posto que esteja presente em toda parte... ...assim como o espírito humano está no corpo todo...  ...e só age por intermédio dos nervos.


Segundo Luiz de Mattos em seu livro Cartas Oportunas Sobre o Espiritismo, página 13, cita as máximas que Jesus, o Cristo apregoava: Como pensares, assim serás...  ...Como fizeres, assim terás...  ...Somos, pois, aquilo que pensamos, e os nossos pensamentos estão sujeitos às leis naturais, por ser o pensamento uma força saturada de poder, para o bem ou para o mal.


Na sequência, página 14, Luiz de Mattos afirma,… cada espírito, ao encarnar, ao deliberar descer a este planeta para trabalhar em corpo físico, a fim de poder levar a bom termo a sua depuração, o cumprimento do seu dever e, portanto, o seu aperfeiçoamento...  ...a mediunidade é tanto mais desenvolvida, quanto maior esforço for preciso... ...algumas pessoas trazem a mediunidade vidente e auditiva que serve para proporcionar-lhes mais facilmente os conhecimentos sobre a vida fora da matéria...


Na mesma sequência da ideia, que tal dar um viva para essa descoberta. Se todos nós temos a faculdade de mediunidade em suas diversas modalidades como algo inerente ao espírito.


Assim como uma criança nos primeiros anos de vida, conversa com seus amiguinhos que se supõe imaginários e, que passados essa fase dos primeiros 5 ou 6 anos, naturalmente perdem essa faculdade, então podemos considerar que o processo de ouvir de uma forma expandida não é uma anomalia e sim, um canal mais apurado, acima da média, portanto acima do normal.


Se é através do pensamento que o espírito se comunica, assim como nós estamos nos comunicando agora, porque não reverter a “aversão ao som” e transformá-lo em descobertas, principalmente na busca das razões desse “super poder” em ouvir ondas que estão à nossa volta.


Assim, no mesmo processo em que a criatura aceita a sua própria voz ou os ruídos inseparáveis do seu eu, como por exemplo, a sua própria mastigação, o ser com super audição, poderá iniciar o processo de dominar as reações negativas e entender que o som é uma das coisas belas da vida.


É sabido que cada espírito antes de reencarnar, prepara em seu mundo de luz os recursos que precisa para sua trajetória evolutiva no mundo Terra, portanto, já vem sabendo exatamente a luta que irá enfrentar, então caberá a cada um, através de seu pensamento e com muita calma, com estudo e perseverança ir aceitando esse super poder como algo inerente às suas necessidades para completar a sua trajetória evolutiva.


Assim, irá descobrindo que a vida tem o seu lado positivo e melhor ainda quando a compartilhamos com os demais as pequenas coisas e os momentos do dia a dia.


Encontramos na Doutrina Racionalista Cristã orientações que nos ensinam a ver a vida menos dolorida e menos pesada. Através da limpeza psíquica se obtém o contato com as Forças Superiores, ou seja, contato com Espíritos do Astral Superior, e estes brindam intuições que aliadas ao estudo da espiritualidade, ajudam a clarear as ideias e a fortalecer o pensamento para dominar os impulsos das reações negativas, 
se sugere o estudo da espiritualidade praticada pelo Racionalismo Cristão.

Enfim, descobrir as razões dos porquês da vida e entender a super audição, poderá resultar em algo surpreendente e compensador no domínio das reações negativas.


• Recebemos mais uma importante colaboração do amigo Sr. Antão José Lopes da Luz, Presidente da Casa Racionalista Cristã, Filial Seixal, que após ler as informações acima, sentiu-se no dever de dar a sua contribuição, e em seguida o publicou  como, Misofonia aos olhos da espiritualidade.


Ao tomar contato com a nomenclatura "Misofonia" demonstrada pela publicação do blog Vida Eterno Crescimento, me deu a ideia de quantos poderiam ser os portadores dessa condição e do enormíssimo leque de sintomas já identificados tecnicamente por especialistas.


Ao longo de meus estudos da vida espiritual, pude constatar pessoal e diretamente muitos dos casos descritos.


Os que padecem de misofonia vivem num permanente estado de ansiedade já que a fonte, o agente dos seus incômodos é exterior e independe de sua vontade. Estão sempre em suspenso, em sentido de alerta, de prevenção, sempre à espera que a agressão venha nem se sabe de onde e que lhes afeta o tímpano e se repercute por todo o sistema nervoso. Por vezes a causa é apenas imaginária, sugerida por um gesto ou uma visão que não traduzia a realidade.

Caso curioso: apenas abominam ruídos provenientes de terceiros, os mesmos ruídos produzidos por eles mesmo não lhes afeta em nada.

Então, como considerar essa condição do misofônico?

Antes de mais devem reparar que me referi a “condição” e não doença. A misofonia poderá ser considerada uma espécie da faculdade mediúnica, uma condição do ser vivente. Se a mediunidade não é doença, também não o será a misofonia.

O por quê dessa extraordinária sensibilidade?

Como sabemos o corpo astral ou fluido nervoso não está encerrado no corpo material. O espírito, para se deslocar, sem o seu corpo físico, constitui esse seu veículo, seu corpo astral, seu fluido nervoso.

Na maioria das criaturas, esse fluido nervoso está perfeitamente justaposto ao corpo material, mas há casos em que não se verifica esse perfeito ajustamento.

Sabemos também que é através dos órgãos dos sentidos que o espírito entra em contato com o mundo exterior. Por isso, às vezes, certos estímulos exteriores agredirem, chocarem com o fluido nervoso, provocando as mais diversas reações do portador da extrema sensibilidade, do misofonico.

Força e Matéria são os dois únicos componentes do Universo, base de tudo quanto existe neste e noutros planetas. Enquanto os homens da ciência limitarem os seus estudos, as suas investigações, à matéria organizada, ao mundo físico, sem procurarem, fora deste mundo, o elemento que organiza, incita e movimenta a matéria, continuarão na ignorância das reais causas de todas as coisas.

Portanto, tem que ser nesses dois elementos constitutivos de todos os corpos neste mundo que se tem que investigar para se chegar a soluções acertadas acerca da “Misofonia” e não só, mas também de todos os fenômenos e efeitos físicos observados no mundo.

A pureza da vida anímica está de acordo com a do próprio espírito, isto é, com a pureza do mundo a que pertence.

Sabemos que há milhares de milhões de categorias de mundos a rolar no espaço. Cada categoria com a sua própria atmosfera ou aura, com a própria matéria constituinte dessa atmosfera. Quanto mais elevado é o mundo, mais pura é a sua atmosfera. Daí se conclui que o fluido nervoso dos seres humanos é variável e na relação direta do grau de evolução alcançado pelo espírito.

Como há milhares de tipos de fluidos nervosos, assim temos milhares de comportamentos humanos dos portadores da misofonia.

Quanto mais atrasado é o espírito, mais denso é o seu perispírito, mais compacto é o seu corpo físico.

Antão José Lopes da Luz
Presidente Físico da Casa Racionalista Cristã, Filial Seixal, Lisboa - Portugal

Recebemos mais uma colaboração da Dra. Judith T. Krauthamer, autora do livro “Sound-Rage”. A Primer of the Neurobiology and Psychology of a Little Known Anger Disorder (210 pgs). Portanto o livro está escrito em inglês, disponível através do site www.amazon.com. Um livro dedicado aos pesquisadores e educadores sobre a Misofonia. Vejamos o que a autora nos disse.

Caro colegas com o problema de Misofonia,

Estou escrevendo para compartilhar com vocês novas informações sobre a doença muito pouca conhecida que é a raiva sobre os sons, popularmente conhecida como "misofonia". A doença é caracterizada por uma “ira”, uma repulsa como resposta a estímulos auditivos, a maioria é predominantemente sobre os sons de mastigar. Com o tempo, essa raiva se expande e inclui outros sons como, corte de unhas, fungação de nariz ou ouvindo a limpeza de garganta, e desencadeia para o visual, tais como, pernas balançando e até mesmo ver alguém apontar o dedo.

A doença é considerada uma desordem neurológica possivelmente desenvolvida, no final da infância para uma idade juvenil.

Se você souber de uma criança que, aos nove anos, de repente se torna furioso por que seu pai está com um cheiro insuportável, ou um menino de dez anos que não quer ir para a escola porque tem alguém que está fazendo barulho por mascar chiclete, as chances são de que já têm esse transtorno.

Infelizmente na pesquisa, muito poucas pessoas, médicos e comunidades terapêuticas estão cientes dessa síndrome. Normalmente, os clientes são diagnosticados como tendo transtorno “obsessivo-compulsivo”, fobia, ou transtorno de estresse pós-traumático, muito provavelmente porque a hipervigilância é comum entre esses transtornos. O diagnóstico errôneo limita as possibilidades para o tratamento adequado.
 


Para isso, tenho o prazer de informá-lo sobre a publicação deSound-Rage”. A Primer of the Neurobiology and Psychology of a Little Known Anger Disorder (210 pgs).

O livro inclui testemunhos e histórias de pessoas que têm misofonia. Com uma compreensão básica do que a síndrome se parece, é como uma cartilha que investiga um estudo neurológico e apresenta uma visão geral de como o cérebro processa a informação, especificamente os gatilhos do problema. O desconforto diário é exacerbado pelos pensamentos e associações que acompanham a raiva e dor, e isso também é abordado no livro.

Se você está pesquisando para melhor entender, ou educar outros sobre a doença, ou se você está tratando alguém com esta doença, acredito que a cartilha seria um bem valioso.

O livro está disponível através www.amazon.com


Agradecemos antecipadamente pelo seu tempo e consideração.
By Dra. Judith T. Krauthamer

www.sound-rage.com
info@sound-rage.com
Autora do livro "Sound-Rage". A Primer of the Neurobiology and Psychology of a Little Known Anger Disorder (210 pgs). Pelo valor de US$14,95, (convém perguntar antes no correio sobre a taxa de alfandega a pagar na hora da retirada do livro).

Misofonia
by Wilson Candeias
Fonte:
http://www misophonia /Forum
http://www misophonia /symptoms
http://www misophonia /treatment
http://br syvum com/cgi/fisica/som


Poderá gostar de conhecer:
 Atavismo

Seguidores

Vale a pena visitar