Seguidores

Reuniões Públicas - Por Pedro Pesce

As reuniões realizadas nas Casas racionalistas cristãs (Casa-Chefe, Filiais, no Brasil e no Exterior), três vezes por semana, às segundas, quartas e sextas-feiras, sempre às 20:00 horas, denominam-se Reuniões Públicas de Limpeza Psíquica. Essas Reuniões, franqueadas a todas as pessoas, sem distinção de classes sociais, raças, religiões, seitas, crenças, sexo, idade ou nacionalidade, têm objetivos bem definidos nos livros Racionalismo Cristão, Prática do Racionalismo Cristão e A vida fora da matéria.

Nelas, não se pede coisa alguma a ninguém - nem sequer o nome do visitante é indagado. Os trabalhos visam tão-somente a dar esclarecimentos aos presentes (assistentes que os queiram receber) sobre os fundamentos da Vida, com enfoque especial sobre a existência e ação do espírito e sobre as questões: o que somos, de onde viemos e para aonde vamos, dentro de conceitos racionais, científicos e filosóficos, de caráter claramente cristão-espiritualista, sem se deixar confundir com dogmatismos e fé cega.

Nessas Reuniões, disciplinadamente, num clima de paz e civilidade, são abordadas questões as mais diversas do dia-a-dia das criaturas cujos pensamentos de angústia, desespero ou de simples curiosidade são captados telepática ou intuitivamente pelos médiuns (masculinos e femininos) que participam à Mesa dos Trabalhos, juntamente com esteios, presidente e fecho, todos com lugar e encargos antecipadamente definidos, obtendo explanação ou doutrinação imediata do Militante que ocupa a cabeceira da mesa.

Por possuir médiuns em seu seio, o Racionalismo Cristão não deverá ser comparado com práticas corriqueiras de espiritismo por aí existentes. A mediunidade, em um ambiente racionalista cristão, é tratada com muita seriedade e os médiuns só a desenvolvem dentro das Correntes formadas durante as Reuniões (nunca fora delas sob qualquer hipótese).


Dessa mediunidade, assim desenvolvida e aplicada, vale-se o Astral Superior para executar a desobsessão de criaturas avassaladas por espíritos inferiores de índole perversa, ou para curar outras com enfermidades psicológicas de origem espiritual.

Essa atividade visa a restabelecer a saúde psíquica desses enfermos da alma, mesmo à distância, mediante correntes luminosas das Forças Astrais Superiores para o bem do corpo e da alma daqueles que estiverem ligados mentalmente às Reuniões, além de possibilitar aos Espíritos Superiores, através do fenômeno de desdobramento em corpo astral (bi-locação), arrebatar de uma só vez inúmeras falanges de obsessores estagiados na baixa atmosfera do planeta em deplorável estado de sofrimento e atribulação, encaminhando-as imediata e definitivamente ao Espaço Superior onde deveriam estar desde quando desencarnaram, pois o primeiro dever do espírito, depois que desencarna, é ascender ao mundo a que pertence, sem se deter um só instante na atmosfera da Terra.

Nas Reuniões Públicas, ademais, as criaturas de boa vontade são esclarecidas sobre a Verdade relacionada com as leis e deveres que a vida impõe no trabalho e no lar e, demais disso, são beneficiadas com a Limpeza Psíquica para que possam fazer uso consciente do livre-arbítrio, ficando preparadas, dessa maneira, para o cumprimento de seus deveres materiais e espirituais. 
A Limpeza Psíquica tem nos pensamentos bem irradiados, harmonizados e homogeneizados (inclusive pelos assistentes que os acompanharem mentalmente com calma e elevação espiritual) o seu máximo de eficiência para a constituição das correntes anímicas sobre as quais as Forças Superiores estabelecem suas luminosas Correntes Fluídicas.


A Limpeza Psíquica ocorre nos dez primeiros minutos das Reuniões, devido a emissão ordenada de um somatório de bons pensamentos uniformes e irradiados com firmeza por todos os componentes da reunião, sob a Direção do Astral Superior, estabelecendo instantaneamente um elo magnético poderoso entre o plano físico terra-a-terra e o plano invisível Espiritual Superior, processando-se então a limpeza psíquica das criaturas presentes às Reuniões Públicas racionalistas cristãs.


Por isso mesmo, os servidores da Doutrina têm indescritíveis momentos de clarividência e emoção por estarem prestando prazerosamente uma ajuda modesta, mas redentora, de toda a Humanidade. Muitos lembram-se para sempre da primeira vez em que fizeram parte das Reuniões e a alegria espiritual que sentiram porquanto tiveram entendimento e consciência plena de que, sem convencionalismo ou fanatismo, para receber e conservar boa assistência espiritual, continuaram os estudos e a prática efetiva dos atos disciplinares da Doutrina.

REUNIÕES PÚBLICAS
Por Pedro Pesce

Colaboradores na edição e revisão:
Aida Luz, Ana Paula Oliveira, Fernando Fidalgo, Joaquim Alves Neto, Marilei Molina, Regina Reis, Solange Vieira, Soraya Figueiredo, Wilar Franco e Wilson Candeias

Artigo reeditado em memória ao Grupo de Estudos Esteios do BemPedro Pesce.

Seguidores

Vale a pena visitar